skip to Main Content

Setembro Amarelo: psicólogo alerta para os cuidados com a saúde mental

Setembro Amarelo: Psicólogo Alerta Para Os Cuidados Com A Saúde Mental

Segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde(OMS), o suicídio
é a quarta maior causa de morte entre jovens, de 15 a 29 anos. Pesquisas do
DataSUS, plataforma do governo federal que concentra informações relativas
à saúde no Brasil, revelam que as mortes por suicídio entre 2011 e 2020
aumentaram 35% no país. Criado em 2014, pela Associação Brasileira de
Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), o
Setembro Amarelo tem a intenção de conscientizar a população sobre a
prevenção ao suicídio e a valorização da vida e neste ano o lema da
campanha é  “A vida é a melhor escolha!”.

De acordo com o  psicólogo do Hapvida NDI, Carol Costa Jr. o comportamento
suicida inclui pensamentos, planos e tentativas de autodestruição. É
resultante da interação de fatores psicológicos, genéticos, culturais,
biológicos e socioambientais e as questões que levam ao ato são cumulativas
na história de vida, não podendo ser atribuídas a eventos isolados, nem
desconsiderando questões particulares de cada um. Dentre os fatores de
risco conhecidos, a depressão, por exemplo, pode evoluir e a pessoa chegar
realmente às vias de fato. Por mais que o comportamento suicida não seja
previsto, alguns sinais ou mesmo indicadores podem ser notados para uma
intervenção de acolhimento.

“A depressão não aparece do dia pra noite. Você acorda hoje e “estou
depressivo”. Ela é gradativa. Então, ela vai se mostrando presente, muitas
vezes uma falta de vontade, no momento onde a pessoa começa a ter um
comportamento de recusa. Ele já evita estar entre as pessoas. As atividades
que eram prazerosas, já não são mais. Começa em um discurso vitimista, de
finitude”, explica o especialista.

Ainda segundo o psicólogo, as ideações suicidas podem se manifestar em
qualquer idade e, inclusive as crianças também estão propensas a terem este
tipo de problema. Quando se refere à questão de gênero, as mulheres estão
mais suscetíveis devido às oscilações hormonais mensais que alteram o
comportamento, deixando-as mais vulneráveis aos transtornos do humor,
especialmente a depressão como doença ou sintomas depressivos.

O médico faz um alerta da importância do tratamento da saúde mental no dia
a dia de uma pessoa, para poder incorporar estratégias de autocuidado e
alcançar hábitos saudáveis. “A gente só não vai ter coisa boa na vida o
tempo todo, mas saber lidar com elas. Os problemas não são para serem
solucionados, eles são para serem administrados, então, é importante sempre
buscar e ter atividades prazerosas, algo que lhe faça bem. Não é só de
problema, trabalho, corre-corre, que a vida é feita!  Então, nós precisamos
de um momento para a gente também.” pontua o psicólogo.

[image: Setembro Amarelo_Pixabay.png]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top

Send this to a friend