skip to Main Content

AMOR SEM DESTINO

AMOR SEM DESTINO

(In-memoriem do poeta Juarez Vicente – 04.04.1952/30.01.2013)

Como um universo
De sentimentos diferentes
Uma paixão infinita
Ímpar, singular, gigante,
Que grita!
Um amor sem destino!

O ego do poeta
Que na inquetude
Desaprende amar
Não tem tempo de amar
Por isso não sabe amar
Querendo o mundo
De uma só vez… abraçar!
Viver, estravazar, criar…
Cantar, sonhar…
Na chuva, no sol
Na escuridao. nas estrelas…
No ar e no mar…

Olhado diferente, ser estranho…
Ele briga, chora, esperneia
E sozinho extravasa alegria na multidão…
Escondendo na sua tristeza
Uma imensa e infinita solidão…

Assim é um poeta
Que defende a paz no mundo, mandando flores
Defende livre o cantar dos pássaros
O sorriso de uma inocente criança…
E sem poder vê um mundo sem divisas, grades e muros
Colhendo dores…

Voa sem rumo ao desconhecido
Para um túmulo da vida morta!
Com a sua ilusáo e sonhos herança de pecador
sem perdão…
Nos deixa na esperança
De uma luz…

Joselito dos Reis
30.01.2024

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top

Send this to a friend